Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Varejistas de calçados preveem queda nas vendas com sobretaxa

Fonte:|valoronline.com.br|

SÃO PAULO - As varejistas de calçados esportivos preveem queda nas vendas e já fazem os cálculos de quanto será o impacto no preço do tênis com a nova alíquota de US$ 12,47 sobre os calçados importados da China.

Na Centauro, maior varejista com mais de 120 lojas, a expectativa é que o aumento no valor final do produto provoque uma redução de 20% a 25% na receita nos primeiros meses com os novos preços. " Inicialmente, os clientes devem desistir da compra por causa do aumento. Com o passar do tempo, vamos ver se eles migram para modelos mais caros ou mais baratos " , explicou Sebastião Bomfim Filho, fundador e presidente do grupo SBF, dono da rede Centauro.

Cálculos feitos pela varejista mostram que até então, um tênis chinês de US$ 12 - vendido nas lojas brasileiras em média por R$ 89 - tinha como preço de custo R$ 43,7. Com a sobretaxa, esse valor sobe para R$ 73. Nos tênis chineses de US$ 50, o importador desembolsava cerca de R$ 173. Agora, esse valor aumenta para R$ 211.

Nessas contas, estão incluídas despesas como frete e seguro (5%), alíquota de importação (35%), PIS/Cofins (9%), ICMS (18%) e despesas da importadora como, por exemplo, frete doméstico e gastos operacionais (5%). A nova sobretaxa incide no meio do processo, ou seja, antes da cobrança do ICMS e das despesas internas. Com isso, essas duas últimas taxas acabam incidindo sobre um valor maior.

A nova sobretaxa deve provocar maior impacto entre os tênis importados mais em conta, uma vez que os US$ 12,47 incidem da mesma forma sobre qualquer calçado, independentemente do preço.

Na Centauro, os tênis importados vendidos entre R$ 89 e R$ 129 representam 30% do faturamento total. " Há modelos nacionais com esse preço, mas a tecnologia é inferior se comparada a dos importados " , disse Bomfim.

Na varejista A Esportiva, com 12 pontos de venda em São Paulo, os modelos importados de até R$ 299 respondem por 50% das vendas, segundo Silvio Duarte, diretor comercial e um dos sócios da rede.

A Paquetá, varejista com 122 lojas de calçados em geral e mais 18 pontos especializados em tênis, também espera impactos negativos. " Nas nossas lojas que vendem vários modelos de sapatos e tênis, os importados de até R$ 350 representam quase que a totalidade das vendas " , disse Rodrigo Bacher, diretor comercial da Paquetá.

Com 10 unidades em São Paulo, a Procopio já está inclusive revendo sua expansão por conta da nova medida. " Havíamos projetado um crescimento com base nas vendas, mas se elas caírem vamos rever nossa expansão " , disse Jean Tchorbadjian, diretor da Procopio Sports. O diretor da A Esportiva também disse que se houver redução na receita deverá contratar menos funcionários temporários no fim do ano.

O aumento de preços deve ser sentido no varejo nos últimos meses do ano, pois a maioria das importadoras trabalha com estoque de três meses.

Segundo o diretor da Procopio, com a queda nas vendas de importados, as fabricantes nacionais podem vir a aumentar seus preços.

Exibições: 3

Tags: comercio

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço